• março

    25

    2015
  • 106
  • 0
Como fazer mudança: um guia completo para evitar dor de cabeça

Como fazer mudança: um guia completo para evitar dor de cabeça

O processo de mudança de casa ou de apartamento pode ser chato e complicado, mas não é por isso que precisa ser motivo para dor de cabeça. Apesar de cansativa, a mudança é um momento muito importante para identificar com clareza o que deve seguir na sua vida e o que pode ser descartado. Mais que uma troca de local físico, é também um ótimo momento para mudanças internas e desapegos, além de ser ideal para fazer doações e reciclagens.

Fazendo uma seleção bem criteriosa, é possível adquirir itens novos e ousar na disposição dos móveis e decorações no novo lar. Com a cabeça aberta podemos transformar esse momento muitas vezes incômodo em um momento único e de reflexão sobre o que é útil ou não dentro da nova casa.

Paula Roberta da Silva, gerente da marca Dona Resolve, uma franquia de limpeza e organização, revela uma série de práticas que podem ser aplicadas em diferentes fases da mudança, desde a etapa anterior à arrumação na casa antiga até a parte de colocar os objetos na casa nova. “Uma dica essencial para todo o processo é fazer uma lista com tudo que se julga indispensável levar, assim fica mais fácil identificar o que pode ser deixado” diz Paula.

Planejando a mudança

Planejamento é sempre importante quando se trata de uma mudança, já que esse não é um processo simples e, dificilmente, rápido. As oito dicas seguintes servem para tornar a fase de preparação o mais tranquila e menos desgastante possível, com o máximo de organização e limpeza.

 

  • Descartar objetos: descarte materiais, roupas e tudo que não servir mais. Para identificar o que serve ou não, faça perguntas como “está quebrado?”, “tem conserto?”, “está muito velho?”, “é usado com frequência?”; isso ajuda na hora de identificar a necessidade do item em questão.

 

  • Juntar caixas de papelão: recolha o máximo de caixas possíveis, de diferentes tamanhos, mas sempre em bom estado, visto que elas precisam segurar o peso sem desmontar. Geralmente, supermercados e grandes lojas de eletrodomésticos dão as caixas de papelão que não serão usadas, é um jeito simples e sem custo de conseguir o material.

 

  • Separar jornais: separe jornais para embalar objetos mais frágeis, pois eles serão essenciais para que nada seja quebrado na hora de encaixotar tudo.

 

  • Faça listas: as listas ajudam na hora de organizar para qual ambiente da nova casa é destinado cada objeto e são essenciais nessa fase da mudança em que tudo é organizado por caixas; assim, cada uma delas será levada ao local correto quando chegarem ao novo lar.

 

  • Escreva “frágil” nas caixas com objetos delicados: pode parecer fútil, mas essa dica é muito importante quando existem outras pessoas ajudando na mudança. Com a palavra “frágil” escrita nas caixas, todos tomarão mais cuidado e os objetos mais delicados correm menos risco de se quebrarem no meio do trajeto.

 

 

  • Identifique as caixas: utilize fita crepe e adesivos específicos para embalagens, que não descolarão com facilidade, para descrever o que contém cada caixa, assim o momento de identificação das peças fica mais fácil.

  • Comece empacotando objetos menos utilizados: sempre deixe por último os itens que são mais utilizados, assim não se corre o risco de ter que abrir uma caixa ou um pacote para pegar uma escova de dente, por exemplo.

  • Providencie plástico-bolha: o plástico-bolha é importante para embalar peças finas e delicadas, assim como o jornal. É sempre bom ter os dois à mão para decidir qual é melhor para determinado item.

 

 

© Copyright 2015 Multiprime Brasil